LEVINO ALBINO DE FARIA

LEVINO ALBINO DE FARIA Eleito Grão-Mestre Adjunto do Grande Oriente do Estado de Goiás para o período de 19633 a 1966, junto com o Irmão Aryowaldo Tahan. Será sempre lembrado como uma das maiores expressões do Homem-Maçom.

Nascido aqui mesmo na nossa Campininha, a 22 de junho de 1920, fez-se por esforço próprio – e muito esforço – portador de dois diplomas de curso superior: Odontólogo e Advogado. Na década de 40 entrou para o serviço público no qual se aposentou como elemento de proa e de funções destacadas, tendo sido, inclusive, Diretor Geral do Departamento da Receita e, constantemente, elemento da mais estrita confiança do Secretário da Fazenda, isto porque se revelava da maior honestidade, critério e zelo, no assessoramento que exercia e nas orientações que externava.

Como Maçom desfiou um extenso rosário de cargos e comissões. Teve sua iniciação em 5 de novembro de 1946, na Loja Maçônica “Acácia Brasiliense”, desta Capital, da qual foi Orador por várias vezes e por mais de uma vez, seu Venerável-Mestre.

Foi Deputado a esta Poderosa Assembléia Estadual Legislativa e seu Presidente, representando aqui a sua Loja Maçônica-Mãe. Foi Grão-Mestre Estadual Adjunto e, nessa condição, Presidente do Ilustre Conselho Estadual, ao qual voltaria diversas vezes, inclusive como Grande Procurador Estadual e Grande Secretário de Administração.

Integrou Comissões de Regularização de inúmeras Lojas como da “A Sombra da Acácia”, “Alvorada Goiana”, “Guimarães Natal”, “Estrela do Sudoeste”, “Trabalho Cultura e Perfeição”, “União de Canaã” e muitas outras.

Alcançou o elevado cargo de deputado à Soberana Assembléia Federal Legislativa, tendo sido eleito seu Primeiro Grande Vigilante e, nessa qualidade, foi seu Presidente. Chegou a membro do Mui Ilustre Conselho Federal da Ordem, tendo sido Presidente daquele elevado Órgão de Assessoramento e Consultas do Grão-Mestre Geral da Maçonaria Brasileira.

Casado com Dona Vanda Follador Faria, deixa 5 filhos.

Uma semana depois de ter presidido uma movimentada sessão do Conselho Federal da Ordem, em Brasília, em que, pois à mostra mais uma vez sua capacidade, competência e inteligência brilhantíssima.

Levino Albino de Faria deixou este mundo, vítima de um problema cardíaco.

Todos os que o conheceram – e foram tantos – sabem a falta que faz à Maçonaria goiana e à Maçonaria brasileira, esse Maçom notável, cujos pareceres, relatórios e pronunciamentos abalavam as mais lúcidas inteligências maçônicas de todo o País. Com ele, foi-se um dos baluartes da Ordem, com a sua memória, fica o exemplo e o estímulo para os demais Maçons goianos, sequiosos de bem servir à Maçonaria e à Pátria.

Fonte: Pronunciamento do Irmão Jair Assis Ribeiro, na Sessão da Poderosa Assembléia Estadual Legislativa de 01/08/1981, publicado pelo Jornal Maçônico "Liberdade e União" edição nº 26 de agosto de 1981.

Grão-Mestre Adjunto Levino Albino de Faria - Grande Oriente do Estado de Goiás

Levino Albino de Faria foi Venerável-Mestre da Loja Maçônica “Acácia Brasiliense” nos períodos: 24/06/48 a 23/06/49, 24/06/52 a 24/06/53, 24/06/54 a 19/06/55, 24/06/59 a 24/06/60, 24/06/61 a 24/06/63, 29/03/76 a 24/06/77 e 24/06/77 a 30/10/78.

 

Voltar ao início

 

Abel Tolentino
Webmaster