NASSERI GABRIEL

Nasseri Gabriel (59 a 63 - interino de 57 a 59), primeiro Grão-Mestre,  foi sempre um batalhador, à frente de todas as iniciativas da maçonaria goiana. O seu busto ornamenta a entrada principal do Palácio Maçônico, que tem o seu nome.
 

A VIDA MAÇÔNICA DE NASSERI GABRIEL
 

NASSERI GABRIEL, Grau 33, Delegado Litúrgico do Supremo Conselho do Brasil para o Rito Escocês Antigo e Aceito no Estado de Goiás, passou para o Oriente Eterno, na segunda metade do dia 2 de agosto de 1990, após 41 anos de  relevantes serviços prestados à Maçonaria Goiana e do Brasil, e, notadamente ao Supremo Conselho do Rito que abraçara.

Deixou a Ordem em Goiás em negra orfandade, pois era indubitavelmente uma verdadeira coluna mestra, e o seu desaparecimento abriu uma lacuna que não será de fácil ocupação, dada a intensidade com que marcou sua atuação, às vezes, em momentos extremamente difíceis à Ordem.

Iniciou-se em 28 de outubro de 1949, na Loja “Liberdade e União” nº 1158, Oriente de Goiânia, Capital do Estado de Goiás, jurisdicionada ao Grande Oriente do Brasil. Colou Grau 2 em 10 de fevereiro e o Grau 3 em 31 de março de 1950, e após passar por quase todos os Cargos de sua Loja Maçônica Mãe, chegou a ser seu Venerável, cuja administração ocorreu no biênio 1958/59.

No simbolismo, foi fundador das Lojas “Ordem e Progresso IIª” e “União e Trabalho IVª”, ao Oriente de Goiânia, tendo sido igualmente, Venerável de ambas.

Nasseri Gabriel, desde sua iniciação, se revelou um interessado e estudioso dos assuntos maçônicos, voltou-se para o lado místico, esotérico da Sublime Instituição e procurou conhecer-lhe as leis, os rituais, a liturgia, participou ativamente de todos os trabalhos e atividades da Maçonaria em Goiás, como forma pessoal de construir, amealhando, com isto, profundos conhecimentos sobre os seus augustos mistérios.

À medida que a Maçonaria Goiana ia crescendo, Nasseri Gabriel crescia junto, acompanhando seus desdobramentos, tanto pelo lado material, quanto pelo espiritual.

Ao longo da sua extraordinária vida maçônica, integrou as Comissões Regularizadoras das Lojas “Estrela Buritialegrense”, “Estrela de Brasília”, “Vale do São Patrício”, “Vitória da Razão”, “Estrela de Goiás”, “Estrela Montebelense”, “União de Canaã”, “Narceu de Almeida”, “Justiça e União”, “Mensageiros de Pitágoras”, “7 de Setembro X” e “José Marcelino da Silva”, bem assim, presidiu as Comissões de Sagração de Templos das Lojas “Vigilância e Fraternidade de Inhumas”, “Estrela Buritialegrense”, “Asilo da Liberdade”, “Aurora de Goiás”, “Vitória da Razão”, “Trabalho, Cultura e Perfeição”, “Flor da Acácia Goiana”, “Cruzeiro do Sul VIII”, “Acácia Cristalinense”, a maioria delas situadas no interior de Goiás.

Deputado à Poderosa Assembléia Federal Legislativa do GOB, eleito pela Loja “Liberdade e União” por duas legislaturas, Presidente da Comissão de Grau de sua Loja Mãe, de 1956 a 1981, de cuja Loja Maçônica tornou-se Emérito e recebeu com absoluta justiça a mais alta condecoração, pois pelo Ato 3/87 lhe foi outorgada a Medalha “Cláudio das Neves”.

Membro Benemérito das Lojas “Lealdade e Justiça IIª”, Oriente de Anápolis e “Estrela Rioverdense”, Oriente de Rio Verde, Grande Benemérito do Grande Oriente Estadual e Benemérito do Grande Oriente do Brasil.

Membro Honorário das Lojas “Asilo da Acácia”, “Roteiro da Amizade”, “Luz e Liberdade”, “Aurora de Goiás” e “Vigilância e Fraternidade de Inhumas”.

Em 1971 tornou-se Mestre Instalado, e daí para frente, passou a ser obrigatoriamente Membro do Conselho de Mestres Instalados. Após concluir o Curso de Seminário de Mestres Maçons, foi nomeado professor de Liturgia e Coordenador dos subseqüentes Seminários realizados.

Participou da fundação da FAMA – Fundação de Assistência a Menores Aprendizes, sociedade civil sem fins lucrativos e mantida pela Loja “Liberdade e União”,e de suas atividades através dos anos.

Idealizador e fundador do Grande Oriente do Estado de Goiás, criado pelo Decreto 1.830, de 24/03/1959, do Grande Oriente do Brasil, assinado pelo Soberano Grão-Mestre Geral, Dr. Cyro Wernek de Souza e Silva.


Gabriel Elias - 3º Grão-Mestre da Grande Loja do Estado de Goiás;
Chafic Gabriel - Grão-Mestre do GOEG  83/87  91/95
Nasseri Gabriel - 1º Grão-Mestre do GOEG

E vencendo o pleito eleitoral, Nasseri Gabriel tomou posse do alto cargo de Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado de Goiás, sendo o 1º Grão-Mestre, tendo como seu Grão-Mestre Adjunto, o valoroso Irmão Waltrudes Cunha, cuja posse se deu no ato da instalação do próprio Grande Oriente Estadual, verificada no dia 7/6/59.

Cumprido o seu mandato de Grão-Mestre Estadual, em 1963, o Grande Oriente estava corretamente implantado em território goiano, instalado com todos os seus órgãos em pleno funcionamento, numa demonstração do trabalho sério e dignificante prestado à Maçonaria pelo Grão Mestrado. E passado o Malhete ao sucessor, continuou Nasseri Gabriel participando de todas as administrações seguintes do GOEG até o seu passamento, tendo sido ainda Conselheiro, Grande Secretário de Relações Maçônicas, Grande Secretário do Patrimônio e diversas vezes Grande Secretário da Cultura e Educação.

Gabriel Elias Neto - Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica de Goiás
Gabriel Elias Neto
Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica de Goiás
1957/1960

Fato Curioso é o de que, quando Nasseri Gabriel exerceu o Grão Mestrado Estadual, seu irmão carnal e de Ordem, Irmão Gabriel Elias Neto era o Sereníssimo Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica de Goiás, e isso facilitou o melhor relacionamento entre as duas Potências Maçônicas.

Até que, por seu intermédio, na oportunidade da visita do Soberano Grão-Mestre Geral do GOB Irmão Cyro Wernek de Souza e Silva foi celebrado em Goiânia, o “Tratado de Mútuo Reconhecimento, Fraternal Amizade e Estreita Colaboração” do Grande Oriente do Brasil e a Sereníssima Grande Loja Maçônica de Goiás, ratificado depois pelo Decreto 1.822, de 30/3/59, do próprio GOB, Tratado este que ainda continua vigindo.

Tratado de Mútuo Reconhecimento, Fraternal Amizade e Estreita Colaboração do Grande Oriente do Brasil e a Sereníssima Grande Loja Maçônica de Goiás

No filosofismo colou todos os graus, obtendo o Grau 33, em 12/12/62. E por inteiro merecimento Nasseri Gabriel foi nomeado Delegado Litúrgico do Supremo Conselho do Brasil, tomou posse em 23/10/63 e permaneceu ocupando este alto cargo até 2/8/90, quando desencarnou.

Foram 27 anos de trabalho ininterrupto na condição de Delegado Litúrgico, talvez o maior prazo de gestão alcançado por um Delegado Litúrgico, registrado na história da Maçonaria Filosófica no Brasil, até a presente data.

Em sua gestão, a Maçonaria Filosófica, particularmente em Goiás, passou por uma completa reformulação, pois sua vida se pautou pela dedicação extrema ao Filosofismo.

Inteligente e perseverante, soube em todas as ocasiões imprimir a força de seu caráter, sempre com dignidade, competência e permanente disposição para cooperar com os Irmãos, permitindo assim que angariasse o respeito e a admiração de todos.

Na Capital goiana, apões a extinção das Lojas “Capitulares” então existente até a separação do Simbolismo do Filosofismo, foi o fundador das Lojas de Perfeição”Tiradentes”, Sublime Capítulo “Liberdade e União”, Conselho Filosófico de Kadosch, nº 9, e depois, do Consistório de Príncipes do Real Segredo nº 4, além de incentivar, paralelamente, a fundação de muitas outras Lojas iguais, no interior do Estado, consolidando a prática da Maçonaria Filosófica em Goiás.

Pelo seu amor, profunda dedicação e intenso trabalho desenvolvido também em prol da Maçonaria Filosófica no Estado, o Supremo Conselho do Rito o premiou com o título de “Membro Honorário do Supremo Conselho do Brasil”.

Fonte:  Autor Luiz Gonzaga Marques, Anuário do Consistório de Príncipes do Real Segredo nº 4, ano nº 3, 1990.

 

Voltar ao início

 

Abel Tolentino
Webmaster