TÍTULOS E CONDECORAÇÕES MAÇÔNICAS

ORDENS DE APERFEIÇOAMENTO

ARCO REAL - GOB

 


Jóia do Companheiro



Jóia dos Principais



Jóia dos Provinciais


A data em que o Arco Real se tornou um Grau separado não pode ser determinada com precisão. As palavras “Arco Real” aparecem pela primeira vez impressas na Irlanda em 1743, em relatório de uma procissão cerimonial pública, quando um arco descrito como Real foi carregado por dois “Excelentes”. O Arco Real possui a sua mais antiga referência em 1752, nas Atas de uma Loja na Irlanda, enquanto o mias antigo registro de admissão é de 22/12/1757, data em que três Irmãos foram exaltados ao Grau do Santo Arco Real em Fredericksburg, Virgínia – EUA.

Foi praticado por muitos anos como um suplemento ao Terceiro Grau, por ser considerado pelos Antigos como o Quarto Grau e conferido em suas Lojas Simbólicas sob os poderes sancionados de sua Carta Constitutiva. Os Modernos possuíam uma postura totalmente contrária para esse Grau que, se trabalhado, seria de forma não oficial e sem as bênçãos da Primeira Grande Loja, postura essa que originou a formação de Capítulos do Arco Real.

Em julho de 1776, uma Carta de Acordo foi assinada e o Grande e Real Capítulo do Arco Real de Jerusalém (o pai direto do Supremo Grande Capítulo de hoje) foi constituído; mas não antes da união, quando então foi declarado oficial e universalmente aceito como parte integrante da pura e antiga Maçonaria.

Um dos mais importantes regulamentos promulgados por esse novo Grande Capítulo foi o de reconhecimento de todos os Capítulos em existência antes de 1813, sendo que cada um deveria ser anexado a uma Loja Simbólica regularmente constituída, assumindo o seu número, ainda que se divulgue que um Capítulo não precise, necessariamente, possuir o mesmo nome da Loja Simbólica a qual está anexado.

Antes da União de 1813, o pré-requisito de admissão para todos os candidatos, fossem eles Modernos ou Antigos, era o de ser um Venerável Mestre Passado de uma Loja Simbólica. Como essa condição restringia o afluxo de membros, uma cerimônia de Mestre Instalado foi inventada, por meio da qual o candidato era aceito como Mestre Passado Virtual ao “passar a cadeira”. Em 1823, essa qualificação foi alterada pelo Supremo Grande Capítulo para um Mestre Maçom com um ano de interstício e, em 1893 esse período foi reduzido para um mês. Como a história que retorna aos seus primórdios, o Arco Real foi descrito como sendo “a mais sagrada parte da Maçonaria”, sendo a sua raiz, coração e essência. Por todo esse período, o Arco Real foi o Grau da Maçonaria sobre o qual mais se falou e escreveu e que para muitos ainda é considerado como conclusão do sistema da Maçonaria Simbólica.

No Grande Oriente do Estado de Goiás estão vinculados os Capítulos: Solidariedade nº 49 e Ordem e União nº 76, que funcionam no palácio maçônico Nasseri Gabriel, sede do GOEG.

 

Abel Tolentino
WebMaster